Dia 11 – Turquia/Iraque

Eram oito horas de viagem ate a cidade situada na regiao curda do Iraque, Erbil.

No meio do caminho, outras 5 pessoas entraram no onibus. E logo viramos uma atracao por falarmos uma lingua estranha a eles. Fizemos amizade falando que eramos do Brasil e dando alguns doces que tinhamos para as pessoas. Todos falavam curdo, um ou dois falavam algo de turco e outro sabia pouquissimo de ingles.

Tentamos, usando o wi-fi do onibus, usar o google tradutor e pedir para eles que nos hospedassem em Erbil. Dissemos ainda que pagariamos, pois segundo o guia so ha hoteis e de uns anos para ca, esta cidade se tornou a “nova Dubai”, o que fez os precos decolarem. Mas o google nao tem a “lingua curda” como uma opcao, o que tornou tudo muito mais dificil.

Noa obtivemos sucesso, ainda que nossas tentativas despertasse a alegria daquele pequeno pedaco do povo curdo nesse onibus que parecia mais fretado do que um normal. 39 assentos vazios.

Mas quando chegamos em Cizre (Se pronuncia “dizre”), Arthur qye estava no assento do corredor disse:

– Tem algum protesto ali na frente.

Mas eram 10 horas da noite.

Eu ainda nao conseguia ver, entao entramos no GPS e vimos onde estavamos…

Cisre

Na fronteira com a Siria.

Apenas alguns quilometros e nao tao longe da fronteira com o Iraque.

A Siria que esta numa guera civil ha 21 meses.

Ja sabiamos que milhares de sirios fugiram de seu pais e haviam se refugiado tanto no Iraque quanto na Turquia. Mas uma manifestacao as 10 horas da noite… algo estava muito errado.

Chegamos mais perto pela avenida principal de Cizre.

O onibus diminuiu sua velocidade.

De repente, um jipe fecha nosso onibus e este freia fortemente.

Fogo pode ser visto atraves das janelas e pelo menos cinquenta pessoas mascaradas.

Todos os conselhos que pedimos nessa viagem haviam sido em vao. Nao era o Iraque que tinha perigo, mas a Siria. Nem ha um mes atras talvez, morteiros foram atirados da Siria para a Turquia, que respondeu com proporcionalidade ate os ataques cessarem. Mas nao paravamos de pensar:

” Sera que a guerra turco-siria comecou?”

O onibus buzina sem parar ate que os manifestantes ou terroristas comecaram a bater no onibus.

O motorista cede.

Abre a porta.

A primeira coisa que pensei foi: “Se esse molotov explodir aqui, rapidamente estariamos mortos.”

Arthur apenas pegou a camera e comecou a gravar. Este era o “furo”.

Como coisas similares estavam acontecendo em Sao Paulo entre traficantes e policiais, eu pensei: “Ha duas saidas alem da da frente: uma porta no meio e a portinhola no teto, ja que as janelas sao ultralacradas por causa do frio.”

Era ver ate onde tudo ia e sobreviver se possivel.

Tinhamos que pensar rapido.

O medo ajudou.

Um homem mascarado entre com o molotov aceso no onibus e conversa algo com o motorista. Na hora nao pensamos nisso, mas se podiam se comunicar e porque falavam curdo ou turco. Gritos foram expelidos de suas vozes. O motorista nao recuou a ameaca. Mais gritos.

Logo, o mascarado sai do onibus.

O motorista buzina novamente freneticamente, o jipe sai e os outros mascarados gritam para nos enquanto passavamos por sua barreira.

Entao, outra ideia veio a mente.

Se nao nos mataram, nao podiam ser sirios. Era o PKK…

pkk

O Partido dos Trabalhadores Curdos, que e separatista e tido como terrorista pelo governo turco, pois tem sua propria milicia.

Mas reparamos entao em outra coisa. Os manifestantes nao eram adultos, mas sim criancas e adolescentes.

Ainda com a adrenalina pulsando no corpo, gravamos outro video sobre o ocorrido.

Mas antes de continuar, adiantarei a historia para esclarecer o que ocorreu.

—————————————————————–

Essa e uma das mais de cem noticias que achamos depois no google e com a liberdade de traducao do google ai vai.

De tras para frente.

02 de Janeiro de 2013 12h19 atualizado às 12h27

Três estudantes ficaram feridos nesta quarta-feira devido a explosão de uma bomba de baixa potência no corredor de uma escola secundária no sudeste da Turquia, informaram as emissoras de televisão NTV e CNNTürk.

Segundo as primeiras informações, a detonação ocorrida aconteceu às 12h15 (8h15 no horário de Brasília), na cidade de Cizre. O artefato seria uma bomba caseira de som, explicaram fontes oficiais. Houve pânico dentro da instituição e os três jovens acabaram hospitalizados.

Cizre é uma cidade na província de Sirnak, e conta com maioria pela minoria curda e um centro de conflito, entre a guerrilha PKK e as forças de segurança turcas.  http://noticias.terra.com.br/mundo/asia/tres-estudantes-se-ferem-em-explosao-de-bomba-na-turquia,f1eba838c16fb310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

31/12/12

Sirnak (dpa) – Uludere distrito de Sirnak Cizre sob o pretexto de protestar contra manifestantes se reuniram nas ruas virou-se para o campo de batalha.Uludere evento, a multidão se reuniu para protestar contra a rua Volga e fazer uma manifestação não autorizada em Nusaybin rua, atacou um carro da polícia. Idil Street e Nusaybin queimando pneus na rua, lixo e recipientes de maneira rochas para criar barreiras que bloqueiam tráfego manifestantes anúncio de aviso que as equipas policiais queriam dispersar os manifestantes. Apesar das advertências da polícia veículos blindados dağılmayıp pedra, bombas de som, fogos de artifício e cocktails Molotov atacou os manifestantes com canhões de água e bombas de gás lacrimogêneo foram interferência. Pesquisar através da intervenção das equipas policiais que fugiram dos confrontos nas ruas entre manifestantes e forças de segurança continuaram até tarde da noite.

CIZRE

E finalmente nosso dia 14/12/12

(Depois de um funeral de um integrante do PKK, houve uma manifestacao nas ruas)
Idil funeral do PKK Oyman’ın Cizre barbela Sirac Rua Mesquita Sheikh nas bandeiras do PKK cobriu o caixão foi levado para a oração fúnebre e depois enterrado no Cemitério de Cizre.

Depois do funeral, um grupo de crianças, na maioria das barricadas de rua Volga desligado, o fogo queimou. Anúncios aviso de que o veículo da polícia foi a desintegração dos manifestantes. Anonslarda, “As crianças vão para casa, não ser a ferramenta de pessoas mal-intencionadas. Pergunte a sua mãe ir a ele” estava alerta.

Apesar dos anúncios manifestantes sem distorções estavam interferindo com canhões de água e bombas de gás lacrimogêneo. Manifestantes granadas de efeito moral da polícia, coquetéis molotov e pedras atacaram. Idil voltou à polícia Rua campo de batalha durante os eventos disparados para o ar para dispersar os agressores.

Enquanto isso, o gás disparou um número de estudantes afetados pela escola. Tomar as casas das famílias levaram seus filhos foram vistos.

Procurar eventos nas ruas durante os manifestantes que fugiam da polícia na perseguição teve lugar para lugar. http://www.radikal.com.tr/Radikal.aspx?aType=RadikalDetayV3&ArticleID=1112056&CategoryID=77

Cizre ruas ainda estão confusos

O funeral dos adeptos organização terrorista do PKK do evento, que desta vez se disfarçar como uma mulher.
publicidade
PKK no centro da cidade de Sirnak Zorava ‘Cudi, de codinome eventos Muhyettin funeral İşlek’in foi seguido por Tekser defnedilmesinin Cemetery.

Vakıfkent e do Bairro Novo, pedras e paus recolhidos atacaram a polícia levou os grupos de acção. A polícia disparou gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar os atacantes e intervir.

Nesse meio tempo, participar de eventos, os manifestantes atacaram a polícia com pedras e cobriram os rostos dos homens estavam vestindo roupas de mulher. Procure a polícia para interferir com os manifestantes nas ruas, fugindo, os eventos tomaram um lugar para outro. http://www.gercekgundem.com/?p=511731

Entao, realmente eram adeptos do PKK e estavamos na hora e lugar extremamente errados.

(E dois anos atras -> http://www.nationalturk.com/en/pkk-terrorist-supporters-and-police-clash-in-sirnak-turkey-35677478)

Voltamos entao a linha do tempo.

—————————————————————–

Chegamos na fronteira com o Iraque depois de uma hora do ocorrido.

Para nossa surpresa, ate os policiais e agentes de imigracao nao sabiam falar ingles.

Quando mostramos nosso passaporte a unica palavra entendida foi “samba-passaporte”.

Com receio de sermos mal recepcionados, Arthur estava usando uma camisa do Brasil para deixar mais claro que somos do pais da festa… do “samba-passaporte”.

Sempre se ganha mais sorrisos e simpatia assim.

Conseguimos o carimbo de entrada.

Iriamos visitar o Curdistao iraquiano.

Andamos mais adiante em outro predio para verificar os passaportes, fizemos amizades com um curdo que servia os chays do lugar e um georgiano. Logo fomos chamados e sem entender uma palavra em turco e curdo, o agente apenas disse para nossa surpresa em ingles:

– No visa…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s